Uber investe US$ 800 milhões em plano para ter apenas carros elétricos no aplicativo

Uber

A Uber anunciou, nesta semana, seu plano para zerar a emissão de carbono durante as viagens realizadas por seus parceiros em todo o mundo. A empresa definiu a meta de fazer 100% das corridas com carros elétricos até 2040. O plano deve ser concluído antes nos Estados Unidos, no Canadá e na Europa, onde a empresa pretende dispensar o combustível fóssil até 2030.

A empresa vai oferecer alguns benefícios, como tarifas maiores, para os motoristas que trocarem seus veículos por automóveis elétricos. O plano é chamado de Uber Green e será lançado inicialmente em 15 cidades dos Estados Unidos e do Canadá. Os usuários do aplicativo vão poder solicitar um carro híbrido ou elétrico, pagando apenas um dólar a mais pela viagem. Os condutores destes veículos vão ganhar entre 0,50 e 1,50 dólar a mais por corrida realizada, de acordo com o tipo de veículo.

E mais: Startup brasileira leva serviço de streaming para pequenos provedores de internet

Apesar do plano, a companhia diz que não vai impedir o uso de carros movidos por combustíveis fósseis, mesmo na data-alvo de 2030. A companhia diz que espera que a mudança seja natural e que os benefícios propostos vão incentivar os condutores a trocarem de veículo.

“Acreditamos que podemos atingir essa meta de 2030 em qualquer cidade importante onde possamos trabalhar com as partes interessadas locais para implementar políticas que garantam uma transição justa aos veículos elétricos para motoristas”, afirmou o CEO da Uber, Dara Khosrowshahi. “Além de nossas metas de plataformas, também estamos comprometidos em zerar as emissões de nossas operações corporativas até 2030”.

Para o consumidor, isso significa que as viagens realizadas em automóveis elétricos ou híbridos ficarão mais caras. Se toda a frota acabar sendo composta por este tipo de veículo, os consumidores terão gastos maiores com o app. Ao que o The Verge relata, a Uber entende que este é um custo necessário para acelerar a transição para uma frota de emissões zero. A própria companhia já admite o investimento de 800 milhões de dólares para ajudar “centenas de milhares de motoristas dos EUA, Canadá e Europa na transição para veículos elétricos com bateria até 2025”.

A partir do ano de 2040, a Uber pretende se tornar uma empresa totalmente livre de emissões. Para fazer isso, a companhia pretende realizar parcerias com diferentes empresas, desse montadoras de automóveis até fabricantes de componentes elétricos, para garantir a transição total de sua frota, em todos os mercados em que atua. Esse será um desafio maior para a gigante do aplicativo de transporte em países que ainda não abraçaram os carros elétricos. O Brasil é um deles. Por aqui, os veículos que chegaram em 2020 custam a partir de 120 mil reais. É praticamente o triplo do preço de um automóvel considerado “popular”.

Views:
238
Article Categories:
Conceitos e Tendências

Ver também