Testes apontam dispositivo controlado pela mente

  • em 22 de outubro de 2019

Controlar computadores com a força da mente está mais próximo do imaginamos. Embora as pesquisas estejam se desenvolvendo há alguns anos, é nesse segundo semestre em que os testes práticos alcançaram os resultados mais expressivos. Entre eles, o conduzido pela Universidade da Califórnia, em parceria com o Facebook. Nele, as máquinas conseguiram prever, sem qualquer ação dos voluntários, boa parte de suas falas.

Os testes foram simples. Três voluntários que passariam por cirurgias, por razões diversas, foram selecionados de hospitais na cidade de São Francisco. Eles receberam implantes cerebrais. Depois, tiveram de responder a um questionário de 9 perguntas. Antes que fossem verbalizadas, o computador conseguiu prever com sucesso 61% das respostas.

O objetivo, segundo os envolvidos, seria auxiliar a comunicação de pacientes com limitações físicas. O texto com os resultados apontou as dimensões éticas da pesquisa. Deixou claro, por exemplo, que o Facebook não terá qualquer direito pelo uso da nova tecnologia, mesmo sendo o seu principal financiador.

E mais: Facebook compra startup que criou pulseira leitora de mentes

Mais testes

O Facebook apoia outras pesquisas envolvendo cérebro e algoritmos. Uma delas é a realizada pela Universidade de Medicina de Washington, que consegue identificar movimentos cerebrais com luz infravermelha e, assim, prever pensamentos antes de serem transformados em palavras.

Outros gigantes da tecnologia, como a Neuralink, de Elon Musk, também vêm mostrando interesse em patrocinar testes do tipo. Na contramão dos avanços tecnológicos, cresce também a preocupação de que empresas como a de Musk e Zuckerberg, que alcançam bilhões pelo mundo, tenham sob domínio ferramentas capazes de ler mentes.

Veja também:

Realidade Aumentada mudará nossa forma de interagir com o mundo

Pesquisa aponta medo e otimismo em relação à IA

Reconhecimento facial enfrenta problemas nos EUA

Views:
595
Article Categories:
Notícias

Ver também