Startup do Vale do Silício desenvolve chip com 1,2 trilhões de transistores

  • em 22 de agosto de 2019

O mundo conheceu nesses dias o mais veloz chip já criado. A Cerebras Systems, startup de Los Altos, no Vale do Silício, Califórnia, desenvolveu uma peça com 1,2 trilhões de transistores e 400 mil núcleos de processamento. O chamado Cerebras Wafer Scale Engine tem capacidade para executar o trabalho de 13,3 mil Unidades de Processamento Gráfico (UPG), que são os chips aplicados na maioria dos smartphones.

O alto desempenho servirá como auxílio às companhias e instituições públicas que analisam grandes volumes de dados. Será útil, por exemplo, para acelerar projetos de Inteligência Artificial (IA), como os aplicados em carros autônomos e softwares de vigilância. Embora útil, capaz de treinar sistemas de IA até mil vezes mais rápido que hardwares tradicionais, o Cerebras leva a desvantagem do tamanho. Suas medidas são 100 vezes maiores que as dos chips comuns.

A startup vem recebendo investimentos pesados para continuar avançando em seu projeto. Até o momento, as somas ultrapassam os US$ 200 milhões.

E mais: Realidade Aumentada mudará nossa forma de interagir com o mundo

Movimento

A Cerebras Systems acompanha uma onda de mudanças já surfada por algumas gigantes da tecnologia. A Intel e a Qualcomm estão focando no desenvolvimento de chips para IA. O próprio Google quer aperfeiçoar os que já utiliza para ferramentas como o Google Assistente e o Google Tradutor.

Para saber mais sobre inovação, tecnologia e o ecossistemas de startups, siga nosso portal nas redes sociais @PortalNeoRadar.

Veja também:

A “terceira onda” tecnológica: como encarar o cenário

Desafios e oportunidades do financiamento à inovação

Conheça 10 inovações para os próximos cinco anos

Views:
1585
Article Categories:
Notícias

Ver também