Ideas For Milk – Desafio de Startups facilita a inovação

  • em 20 de novembro de 2020

Podem participar Startups e grupos com projetos em qualquer fase de amadurecimento. Interessados devem estar atentos aos critérios de avaliação: impacto econômico, visão de futuro, barreiras de entrada e desenvolvimento e execução, as inscrições terminam no dia 22/11.

Os interessados em participar do Ideas For Milk – Desafio de Startups, competição promovida pela Embrapa, com inscrições abertas até 22/11, devem estar atentos à elaboração das propostas. Para participar, não é exigido que o grupo tenha startup constituída, mas é preciso constituir-se como equipe. Obrigatoriamente, a ideia deve ser inovadora e estar relacionada à cadeia do leite: insumos, máquinas, fazenda, captação, fábrica de laticínios, distribuição ou varejo. A avaliação levará em consideração: o impacto econômico (o “tamanho” do problema a ser resolvido, relacionado com o público-alvo e/ou tamanho do mercado e com peso 4 na pontuação); a visão de futuro (a expectativa a longo prazo, com peso 3); as barreiras de entrada (obstáculos para implantação e execução, com peso 2) e desenvolvimento e execução( como está o projeto no momento da apresentação, com peso 1).

O Ideas For Milk – Desafio de Startups é dividido em 3 etapas: inscrição (preencher o formulário disponível no site www.ideasformilk.com.br e anexar um vídeo de até 4 minutos com a apresentação da proposta – prazo até 22/11), classificação (seleção das 7 melhores ideias – prazo até 07/12) e final (premiação da melhor solução para o agronegócio leiteiro, dia 11/12). Para Manuela Lana, Analista de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Gado de Leite, o proponente deve ter muito cuidado na hora de se inscrever: “Não adianta ter uma ideia sensacional, mas que não seja bem explicada. No formulário, o proponente deve detalhar a proposta deixando claro quais os valores e benefícios a sua solução entregará para a cadeia produtiva do leite. O participante deve ter em mente o peso de cada critério de avaliação na hora de defender seus argumentos no vídeo, ajudando o avaliador e perceber a relevância do projeto” orienta. Para Paulo Martins, chefe-geral da Embrapa Gado de Leite, organizadora do concurso, o Desafio de Startups é estimulante, pois não exige grande maturidade do projeto nem soluções exclusivamente digitais “Queremos facilitar a inovação. Acreditamos no valor do processo para a maturação da excelência da proposta. Por isso, abrimos para grupos e não exigimos que a solução seja apenas tecnologia digital. tivemos ótimas surpresas de grupos vencedores com pouquíssima experiência” comemora.

Em 2020, os cinco primeiros classificados disputarão o primeiro lugar durante evento de premiação no dia 11 de dezembro, com transmissão ao vivo pelo canal da Embrapa no Youtube. Uma banca avaliadora, composta pelas maiores autoridades do agronegócio do leite, fará 3 perguntas para cada equipe e definição do vencedor será ao vivo. Nas últimas 4 edições, o Ideas For Milk – Desafio de Startups teve 334 propostas inscritas. Em 2019, foram 58, sendo 8 finalistas. Destas, pelo menos 5 já estão atuando no mercado com as soluções propostas.

Pedro Arcuri, Chefe-adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Gado de Leite, apresenta algumas abordagens para os temas a serem trabalhados. Ele explica que algumas abordagens possíveis referentes aos insumos podem relacionar-se à otimização no uso visando redução de custos de produção, de olho na pegada da sustentabilidade na produção do leite, buscando alternativas mais econômicas, eficazes e com menor impacto ambiental. Já no setor de máquina e equipamentos, há muitas possibilidades de otimização que envolvam a economia de energia, o aperfeiçoamento do design das máquinas e da logística, por exemplo com a integração das máquinas pela internet das coisas. Essa é uma abordagem que se aplica a todos os setores, por exemplo potencializando a agricultura de precisão

para a produção eficiente de forragens com menor pegada ambiental pela economia no uso de fertilizantes, defensivos e água. No manejo do gado, a pecuária de precisão é um mercado em franco crescimento por startups e empresas consolidadas, com apps que lançam mão de big data e inteligência artificial para oferecer serviços que aumentam em muito a confiabilidade na tomada de decisão para fatores críticos como detecção antecipada de doenças, de cio, e de estresse térmico, sem falar, na automatização de processos de alimentação e de ordenha.

O especialista considera a gestão da propriedade um outro mercado promissor para o desenvolvimento de soluções digitais para o controle, contábil e financeiro que facilitem e apoiem a tomada de decisões, e chama a atenção ainda para a gestão dos recursos naturais da fazenda, possíveis via monitoramento por imagens associado ao uso de sensores, por exemplo, para umidade no solo, presença de insetos ou alterações nas folhas, mensuração da quantidade de forragem nas pastagens e ainda no manejo de piquetes e áreas de produção de alimentos, associando drones, imagens via satélite, com big data e aprendizado de máquinas.

Arcuri recorda que produtos relacionados à captação do leite foram premiados em edições anteriores do Desafio de Startups, e mesmo assim este tema está longe de ter seu potencial de inovação esgotado. Cita a importância do aperfeiçoamento constante de mecanismos que otimizem a logística de captação do leite e da sua rastreabilidade especialmente visando garantir a qualidade da matéria prima que chega aos latícínios, a prevenção de fraudes e à manutenção de custos baixos nesta operação diária. No que se refere à fábrica de laticínios, as abordagens se assemelham à da produção de leite, com muitas oportunidades para soluções relacionadas à gestão do negócio, os controles e monitoramento de parâmetros como temperatura de estocagem, qualidade da matéria prima, e monitoramento de cada etapa do processamento do leite até as dezenas de produtos finais, incluindo as etapas de embalagem, armazenamento e controle de estoques, sem esquecer desenvolvimento de soluções ou ferramentas para a análise de mercados e das tendências de consumo, que podem ser decisivas para aumentar a eficácia de planos de comunicação e marketing. Arcuri finaliza dando um conselho importante aos inovadores: “Independente do tema e do setor, o que é importante na hora de pensar uma solução é jamais esquecer a relevância do problema, seu impacto no setor específico da cadeia do leite e o quanto ela é executável no mercado, isto é, se o mercado estará disposto a investir na solução ou comprá-la para uso imediato. Estes são os principais pilares de um projeto promissor”. Além disso, é muito importante discutir com alguém experiente para monitorar a ideia, mesmo que o projeto e a startup já existam. “Uma dica a quem quer empreender com sucesso é conversar objetivamente com mentores, que podem contribuir com aquele olhar experiente e de fora, fundamental para consolidar um produto vendável” completa Pedro.

O Ideas for Milk é uma realização da Embrapa Gado de Leite, em parceria com Agripoint, Bovcontrol, Ciatécnica, Texto Comunicação. Conta com o Patrocínio Diamante do Sebrae; Patrocínio Ouro da Tetrapak, Boehringer Ingelheim, TIM; Patrocínio Prata da Vaccinar,FAEMG/Inaes, Sistema Ocemg, Ssistema OCB, Silemg e Patrocínio Bronze da Nestlé, CLAAS, DSM/Tortuga, ABDI, JA Saúde Animal, Piracanjuba, Vivalácteos, Belgo Bekaert, SENAR/GO, ABIQ, Alta Genetics, Abraleite, Verde Campo e Vivare. Apoio da Microsoft, KER Innovation e Revista Balde Branco.

Views:
93
Article Categories:
Notícias

Ver também