Internet das Coisas relacionada a construção civil é tema no iCON Hub

Palestra iCON Hub

A palestra realizada na última quarta-feira contou com mais de 100 participantes presenciais e remotos

Hubs de tecnologia tem aproximado as empresas tradicionais dos cenários de inovação. Termos que podem parecer comuns para quem já é da área de tecnologia às vezes parecem difíceis para as empresas que ainda correm por fora desse ecossistema,com esse objetivo é que o tema Internet das coisas (Internet of Things – IoT) na Construção Civil foi abordado no iCON Hub, novo hub de Inovação e Construção Civil da Neo Ventures em parceria com o SindusCon-SP  através de uma palestra na última quarta. O evento contou com a presença da professora Renata Marè, doutora em Engenharia de Computação pela Escola Politécnica da USP, com pós-graduação em Gestão Empresarial pelo Instituto Mauá de Engenharia. Além disso, mais de 100 pessoas participaram de forma presencial e remota. 

Renata apontou que a IoT já é uma realidade em todo o mundo, inclusive no Brasil. Em junho de 2019 foi publicado o decreto do Plano Nacional de Internet das Coisas, que visa fornecer diretrizes em nível nacional, a todas as pessoas que desejarem desenvolver ou implementar soluções no contexto de IoT. O decreto tem como objetivo contribuir para a melhor qualidade de vida dos cidadãos, promover a capacitação profissional dentro de um novo contexto de economia digital e incrementar a produtividade das empresas brasileiras e, a partir disso, torná-las mais competitivas em nível internacional.

É importante ressaltar que a prática de IoT no setor da construção civil já é uma realidade. “Na construção civil podem-se citar vários exemplos como: o rastreamento de pessoas e ativos na obra; o monitoramento remoto de equipamentos para fins de manutenção preventiva e preditiva; drones para monitoramento remoto, especialmente em áreas de difícil acesso humano; aplicações com realidade virtual para visitas virtuais e treinamentos e capacitação”, enfatiza a professora.

Em relação ao tema Indústria 4.0, Renata apontou as aplicações que permitem a comunicação entre máquinas, sem a necessidade de intervenção humana, compartilhando dados e atuando de maneira colaborativa em prol da otimização de processos e produtos. “No âmbito das cidades, há uma gama enorme de aplicações de IoT possíveis em várias camadas – infraestrutura, utilidades, transportes, edificações etc. –, muitas delas diretamente ligadas à construção civil”, afirma.

A palestra também teve a participação de Fernando Coelho, fundador e CEO da Imagineage TV, que apresentou o estudo “Gestão de Risco Operacional e Segurança e Saúde Ocupacional” que aborda o custo da fadiga. Os dados apresentados por Coelho apontam que no Brasil, em 2019, a Previdência já pagou mais de R$1 bilhão em custos de doenças psicológicas e do sono associadas ao trabalho. Além disso, de acordo com o estudo, o afastamento do trabalho custa mais de R$ 6 bilhões por ano ao país. 

Com o alinhamento da prática da IoT e a inteligência artificial, foi possível desenvolver uma solução com um sistema de monitoramento remoto por meio de dispositivos vestíveis (aqueles que a pessoa veste) que apresentam periodicamente o desempenho do usuário e oferecem a gestão de risco de fadiga. “Vamos construir um legado 4.0, por meio de inovações na relação entre humanos e tecnologia, contribuindo para um futuro construtivo, sustentável e avesso ao risco”, destacou em sua apresentação. Fernando Coelho esteve acompanhado de seu sócio, Wellington Dias.

Outra apresentação foi a de Jonny Doin, CEO da GridVortex e especialista da área de sistemas embarcados, que tratou sobre as Smart Cities – as cidades inteligentes -, internet das coisas e a segurança cibernética. Jonny apontou a vulnerabilidade das cidades inteligentes que ainda não estão devidamente protegidas contra ataques cibernéticos e quais os principais pontos que necessitam ser observados quando o assunto em pauta é segurança cibernética e física.

Views:
718
Article Tags:
Article Categories:
Notícias

All Comments

Ver também