Dia do professor: Conheça algumas práticas de educadores que inovaram a aprendizagem

dia do professor

Reinvenção tem sido a palavra de ordem para os professores nos últimos anos e deve permanecer em evidência. São tecnologias digitais, brincadeiras, conversas, projetos, tudo usado a favor da aprendizagem. O aluno, agora, é um parceiro na relação de troca que leva ao sucesso na aprendizagem.

O mundo mudou e, com ele, a maneira de nos relacionarmos com as outras pessoas e com o ambiente também. Não nos comunicamos mais do mesmo jeito, tampouco aprendemos como antes. Nesse contexto, é importante considerarmos o papel dos alunos e o quanto é fundamental adotar práticas inovadoras na educação, isto é, tomar medidas que acompanhem as mudanças que ocorrem na realidade desses jovens.

Ensinar não é fácil, mas saber que o está fazendo da melhor forma e que, com suas ações, está impactando positivamente a aprendizagem e a vida dos estudantes da sua escola, com certeza, é algo extraordinário. Com isso mente, separamos 5 práticas inovadoras na educação para você se inspirar.

1. Utilizar técnicas de Design Thinking

Metodologia já muito abordada no mundo corporativo, o Design Thinking nada mais é do que uma abordagem com foco no ser humano para a inovação, levando-o a pensar de maneira crítica e criativa para desenvolver ideias, organizar informações, tomar decisões e adquirir conhecimento.

Dentro das salas de aula, o objetivo desse método é tornar cada aluno um cidadão consciente e capaz de transformar o mundo em um lugar melhor, estimulando pensamentos e ações críticas e criativas. Ou seja, com o Design Thinking é possível despertar o sentimento de protagonismo nos estudantes, fazendo com que se envolvam mais com as propostas da escola.

Há diferentes maneiras de aplicar o Design Thinking na sala de aula. Você pode propor que os alunos reflitam e discutam sobre qualquer tema – como medidas para melhorar o clima e o ambiente escolar. Esse é um jeito de diagnosticar os interesses, necessidades, desejos de cada um deles e usar essas constatações como base para planejar as práticas pedagógicas.

2. Estimular o desenvolvimento de competências socioemocionais

Exercícios, repetições e provas são importantes, mas não são as únicas ferramentas necessárias para formar alunos capazes de enfrentar as dificuldades do século XXI – que estão muito além do vestibular. Isso porque o mercado de trabalho e a vida cobram atitudes para as quais eles não são preparados durante o ensino tradicional.

Para conectá-los verdadeiramente à nova realidade do mundo em que vivemos, é preciso adotar meios de aprendizagem mais flexíveis e abrangentes que contribuam para o desenvolvimento de suas competências socioemocionais.

Engaje os alunos em ações com poder real de transformação no ambiente em que vivem, pois, é crucial que eles compreendam que são parte fundamental em todo o processo. Incentive a mobilização por causas, a colaboração, a interação, a inovação e a proatividade dentro e fora do ambiente escolar.

3. Abordar práticas de inclusão escolar

Para realizar práticas inovadoras na educação, a escola não pode contar apenas com a modernização, mas também com valores humanos. Tecnologia e sustentabilidade são fatores necessários, porém, não suficientes para educar uma pessoa e incitá-la para o melhor que pode ser.

A inclusão social significa, entre outras coisas, o exercício da solidariedade e da empatia, afinal, além de formar alunos, a sua escola também está formando cidadãos. Portanto, cultive ações que promovam a inclusão no ambiente escolar.

4. Permitir que os alunos tenham voz e participação nos processos pedagógicos

Empoderar os alunos é mais um dos pontos fortes de uma escola inovadora. Práticas inovadoras envolvem, também, permitir e incentivar que os alunos tenham liberdade, voz e participação nos processos pedagógicos. Mais do que isso, a escola deve estar aberta para receber feedbacks, ou seja, saber ouvir as ideias, reclamações e sugestões que venham deles.

Viabilizando esse clima participativo, receptivo e dinâmico, a escola ganha a confiança, o respeito e o interesse do aluno que, consequentemente, se sentirá mais valorizado e suscetível às mudanças e atividades escolares.

5. Ensinar os alunos a estudar

Diante de várias tarefas e provas, boa parte dos alunos não sabe por onde começar para botar suas obrigações em dia. Muitos não conseguem gerenciar o tempo fora da escola e acabam atrasando ou, muitas vezes, deixando de entregar o que deveriam.

Algumas ideias para ensinar os alunos a estudar são:

  • Dar dicas para que estudem em momentos de maior disposição, por exemplo:
    • evitar leitura após as refeições;
    • dar uma volta para se distrair e voltar com mais energia;
    • dentre outros.
  • Promover palestras, cursos e workshops sobre gestão do tempo;
  • Criar roteiros de estudo, priorizando suas maiores dificuldades. 

Gostou do nosso conteúdo? Nos siga no Instagram para mais posts exclusivos!

Views:
188
Article Categories:
Conceitos e Tendências

Ver também