Confira as atualizações da tensão entre o TikTok e os Estados Unidos

  • em 24 de setembro de 2020

A tensão relacionada à permanência do TikTok nos Estados Unidos ganhou novas atualizações nos últimos dias. O aplicativo de vídeos ganhou um novo prazo para vender suas operações nos EUA, após um aceno positivo de Donald Trump para um acordo que envolve as americanas Oracle e Walmart.

Porém, a trama é mais complexa do que parece, já que a chinesa ByteDance, desenvolvedora do aplicativo, declarou esta semana que o TikTok Global, uma nova empresa que será formada após o acordo, se tornará sua subsidiária. No entanto, Oracle e Walmart afirmaram no final de semana que eles e investidores americanos teriam participação majoritária dessa companhia.

Trump disse em entrevista na segunda-feira que não aprovaria a venda do TikTok para a Oracle e o Walmart se a ByteDance continuar como controladora do aplicativo. A negociação ainda depende da aprovação do Departamento do Comércio dos EUA, que deu uma semana extra para que as restrições de downloads do TikTok no país entrassem em vigor – o prazo deve se encerrar no próximo domingo (27).

O interesse da Oracle no TikTok começou em agosto, quando Donald Trump emitiu uma ordem executiva que proibia transações com a ByteDance. Ele ameaçou banir o TikTok do país caso ele não fosse vendido para uma empresa americana até meados de setembro – tudo isso sob a justificativa de que a rede social poderia compartilhar dados de 100 milhões de usuários americanos com o governo chinês.

E mais: Pesquisa realizada pelo LinkedIn revela as 10 startups mais desejadas para se trabalhar

A aproximação foi discreta, e aconteceu enquanto a gigante Microsoft anunciou que estava conversando para a aquisição das operações do TikTok nos EUA e outros países. As intenções da Microsoft eram mais ousadas, com um controle maior sobre o aplicativo, e a ByteDance rejeitou. Pouco depois, TikTok e Oracle anunciaram uma “parceria tecnológica”, na qual a companhia americana disse que será uma “provedora confiável de tecnologia”. Até então, o interesse da Oracle não era oficial.

A empresa norte-americana pretende assumir o gerenciamento dos dados de usuários do aplicativo nos EUA e teria acesso aos códigos da ByteDance para realizar auditorias. Nesses moldes, a parceria resolveria as preocupações de Trump sobre a segurança do aplicativo. Neste acordo, será criada uma nova empresa, chamada TikTok Global, com sede nos EUA

A Oracle não é muito popular entre os consumidores, mas foi fundada em 1970 e é referência em soluções corporativas. Atualmente, a empresa oferece serviços de gerenciamento de bancos de dados e servidores para empresas, escolas e governos – incluindo o dos EUA – além de atuar na infraestrutura na nuvem e na área de inteligência artificial.

Trump também citou o varejista Walmart quando disse que aprovariaum acordo entre Oracle e TikTok. O interesse da rede de lojas já não era segredo: em agosto, a companhia disse que fazia parte das negociações entre Microsoft e TikTok. Mesmo com a saída da gigante tecnológica, o Walmart continuou nas negociações.

O Walmart não tem experiência no gerenciamento de plataformas de redes sociais, mas vê no TikTok uma maneira de ampliar a sua presença digital, de olho principalmente nos 100 milhões de usuários ativos que o TikTok tem nos EUA e nos cerca de 800 milhões ao redor do mundo.Ainda não está claro quais seriam as responsabilidades do Walmart no TikTok Global.A versão chinesa do TikTok, chamada de Douyin, já incorpora algumas funcionalidades de compra em meio à exibição dos vídeos curtos.

Fique por dentro de outros conteúdos exclusivos! Nos siga no Instagram.

Views:
216
Article Categories:
Análises

Ver também