Brasileiros deveriam converter tempo gasto com internet em dinheiro

Quando se trata de marcar presença na internet, o brasileiro é o quarto no mundo que mais gasta tempo online. Segundo estudo feito pelo Google com a McKinsey, “Digital Skills Index – Índice de Habilidades Digitais”, o uso da internet pelo brasileiro é maior em redes sociais do que em ferramentas de aprendizados, criação e programação.

Os dados mostraram que 70% da população passa cerca de 9 horas do dia conectado, contudo falta instrução e aprendizado para converter esse tempo online em atividades de giro capital que poderia levantar a renda mensal do brasileiro.

O material mostra que o investimento nessa área levaria a um acréscimo de até R$ 380 na renda mensal do brasileiro, equivalente a 40% do salário mínimo, e injetaria até U$ 70 bilhões no PIB brasileiro até 2025. Conhecimento em inteligência artificial, machine learning e automação de dados são algumas das atividades que aumentariam a possibilidade de gerar capital com atividades na internet.

Conhecimentos especializados em criação e design para as redes sociais aumentariam em 33% a participação desse tipo de serviço em atividades online que geram renda. Atualmente, existe uma grande demanda vinda de empresas e produtores de conteúdo que necessitam da mão de obra.

Para chegar a esses resultados, a pesquisa avaliou cinco pontos diferentes de conhecimento do brasileiro com o ambiente online: Acesso, criação, cultura digital, segurança e usabilidade. Com isso, fora apontado limites tecnológicos relacionados ao uso de ferramentas de armazenamento em nuvem, transações online, identificação de sites seguros e se aventurar em novas tecnologias.

O consumo do ambiente online

O uso da internet no Brasil é tido como meio de comunicação, socialização, espaço para adquirir conhecimento e entretenimento. O Brasil está 45% acima da média de uso das redes sociais em níveis globais. Segundo dados da pesquisa, 83% dos entrevistados citaram aplicativos de mensagens como ferramentas de uso diário, além de 56% comentarem sobre o uso das redes sociais.

Entre os entrevistados, 86% revelou que consome conteúdo audiovisual e utiliza o YouTube como a principal fonte de informação e notícias. As redes sociais do grupo Facebook Inc. são as favoritas dos brasileiros, além do próprio Facebook, o Instagram e o Whatsapp, aplicativos essenciais em qualquer smartphone.

Para saber mais sobre inovação, tecnologia e o ecossistemas de startups, siga nosso portal nas redes sociais @PortalNeoRadar.

Veja mais:
Gastos com anúncios serão maiores na internet do que em mídias tradicionais
A “Internet das Coisas” está expandindo o consumismo; e isso aumentará ainda mais daqui a cinco anos
Brasil é o país que possui 8 das 20 empresas mais inovadoras da América Latina
Instabilidade nas redes sociais do Facebook Inc

Views:
7033
Article Categories:
Notícias

Ver também