Apple anuncia iPhone 12 sem carregador e fones na caixa, mas com tecnologia 5G

  • em 14 de outubro de 2020

A espera finalmente acabou. No evento desta semana, a Apple anunciou quatro modelos do iPhone 12. Com tecnologia 5G, o iPhone promete uma conexão mais rápida nos locais onde a tecnologia já está disponível, além de adotar novamente o design mais quadrado já conhecido dos iPhones 4 e 5, por exemplo.

O iPhone 12 foi anunciado pelo preço sugerido de US$ 799, o que dá cerca de R$ 4.450 em conversão direta. Além dele, há três novos modelos: iPhone 12 Mini por US$ 699; iPhone 12 Pro por US$ 999; e iPhone 12 Pro Max por US$ 1.099. As vendas começam em outubro nos Estados Unidos. Ainda não há previsão de vendas no Brasil.

E mais: Blue Origin lança foguete reutilizável e quebra recorde da SpaceX

Sobre o 5G, o presidente da Apple, Tim Cook, afirmou que a tecnologia permitirá “velocidades mais rápidas, menor latência e mais privacidade e segurança”, uma vez que o celular dependerá cada vez menos de redes WiFi. A rede foi adotada em parceria com a americana Verizon e permitirá que o usuário veja diversas câmeras em um estádio, por exemplo. Segundo Hans Vestberg, CEO da Verizon, afirmou que a tecnologia 5G da companhia alcançará “200 milhões de pessoas” nos Estados Unidos, por exemplo e que “o 5G acabou de se tornar mais real”.

Em relação ao iPhone 11, segundo a marca, ele é 11% mais fino, 15% menor e 16% mais leve, além de ter as bordas da tela reduzidas, para dar mais espaço. A tela em Super Retina XDR, que no ano passado estava presente somente na opção Pro, estará disponível em todas as versões.

A tela do iPhone 12 será capaz de reproduzir conteúdos em Dolby Vision, HLG, e HDR, além de ter o pico de brilho duas vezes maior do que em celulares somente com HDR. Os vidros, na parte dianteira e traseira, feitos em parceria com a Corning, terão uma camada extra de proteção, chamada de “escudo de cerâmica”, que vai garantir até 4 vezes mais resistência à quebra em quedas.

A câmera, por sua vez, permitirá fotos com 2,8 milhões de pixels e 460 ppi e manterá o padrão de câmeras duplas e triplas. Uma das lentes traseiras será ultrawide, com 12MP, enquanto a inferior também terá 12MP e estabilização óptica de imagem. Uma nova função de HDR será adotada nas câmeras, chamada HDR 3. O modo noturno para fotografias funcionará em todas as câmeras, frontal e traseiras.

Já as câmeras do iPhone Pro e Pro Max terá uma estabilização de exposição de dois segundos, além de ser capaz de fotografar as fotos em formatos RAW — comumente utilizadas em câmeras profissionais. As lentes serão 12MP ultrawide, 1,6 de wide-angle — o que equivale a uma câmera de 52mm.

Os novos iPhones vêm com a versão mais recente do processador fabricado pela Apple. O A14 Bionic é o primeiro microprocessador para smartphones construído com 5 nanômetros de distâcia entre os transistores. Há 11,8 bilhões de transistores no chip.

De acordo com a Apple, é o processador mais rápido para smartphones, com velocidade de CPU 50% maior que outros chips. O A14 Bionic também supera concorrentes, de acordo com a empresa, em processamento gráfico. Os chips anteriores dos iPhones XS e 11 (A12 e A13 Bionic) já tinham performance melhor que concorrentes em comparações de mercado.

A Apple afirma que o processador também é ideal para processamento de aprendizado de máquina e inteligência artificial, capaz de realizar até 11 trilhões de operações por segundo.

A Apple também anunciou a remoção dos fones de ouvido e dos adaptadores de tomada para os novos iPhone 12. Segundo a empresa, muitos consumidores já migraram para fones sem fio e há atualmente mais de 700 milhões de headphones com consumidores, além de 2 bilhões de adaptadores de tomada.

De acordo com a fabricante, isso permite reduzir o tamanho das caixas de aparelhos, enviando mais em único pacote e reduzindo a pegada de carbono da empresa. Com a remoção, a empresa espera reduzir emissões em 2 milhões toneladas métricas de carbono por ano, o equivalente a retirar 450.000 automóveis das ruas. Os aparelhos ainda serão enviados com cabos, com entradas Lightning – USB-C.

A Apple trouxe uma tecnologia que já era conhecida dos usuários do Mac para acessórios e carregamento nos novos iPhone. Chamado de MagSafe, ela permitir uma nova leva de carregadores por indução, além de acessórios que podem ser conectados magneticamente aos iPhones.

Originalmente, o MagSafe permitia ter uma segurança na conexão do carregador do Mac, impedindo que alguém tropeçasse no cabo por exemplo. Para os iPhones as aplicações são mais diversas, permitindo carteiras para a parte traseira dos dispositivos e até um carregador combo, que irá permitir carregar iPhone e Apple Watch.

Views:
188
Article Categories:
Conceitos e Tendências

Ver também