App modifica a relação entre pessoas e livros

A startup alemã Blinkist têm um app com o potencial de modificar a forma como as pessoas se relacionam com a leitura. A ferramenta reúne uma coleção de publicações que destacam os principais insights e pontos chave de obras não-ficcionais, escritas por algumas das mentes mais brilhantes do mundo. O conteúdo essencial é compactado em apenas 15 minutos por livro. Ao todo são cerca de 3 mil títulos disponíveis.

Viabilizado com foco na otimização pessoal, o aplicativo sana uma demanda do meio empresarial. Isto porque o ambiente coorporativo tem um ritmo acelerado que, em geral, torna mais difícil encontrar tempo extra para leitura, ao mesmo tempo em que é necessário estar atento à literatura específica de cada nicho de mercado, pois se atualizar no mundo contemporâneo é imperativo.

O app disponibiliza arquivos em texto e audiobooks, que são confeccionados seguindo um padrão específico. É o que esclarece a empresa na Blinkist Magazine: “O método pelo qual elaboramos o conteúdo (textos e e-books) foi pensado de forma a assegurar que ele seja memorável, facilmente absorvível, e aplicável na vida do usuário. Consultamos pesquisas neurocientíficas para nos assegurarmos que o conteúdo do app fosse fácil de manter na memória.  Além disso, na hora de selecionar as obras que farão parte da biblioteca do app, escolhemos exemplos e cases de estudo que sejam relevantes, assim o usuário fica menos propenso a esquecer o que leu, e é mais provável que ele aplique aquilo que aprendeu.”

Para elaborar os principais pontos das publicações a startup conta com uma força tarefa humana, por acreditar que nenhuma inteligência artificial poderia se engajar melhor com os livros.

A ideia agradou aos investidores, o que se reflete nos números: a startup arrecadou mais de 35 milhões de dólares, em seis anos, e já possuí mais de 9 milhões de usuários.

Para saber mais sobre inovação, tecnologia e o ecossistemas de startups, siga nosso portal nas redes sociais @PortalNeoRadar.

Veja mais:
A importância da diversidade para uma startup Unicórnio
O que podemos aprender com a China sobre inovação
Andrade Gutierrez abre novo ciclo para programa de inovação aberta
O fim da “era dourada” das startups

Visualizações:
8678
Categorias:
Notícias

Ver também